Mini-Aventura - Forjando o inicio

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por ADM. Geral em Seg Jan 09, 2017 6:05 pm

Mini-Aventura - Forjando o inicio

Aqui ocorrerá a Mini-Aventura do aprendiz Yao'gun Quiang, a qual será narrada pelo narrador Dragonmbr

DICAS escreveu:Lembre-se que você apenas narra as ações de seu personagem, seu personagem nunca FAZ ele sempre TENTA e também demonstre desde o 1º post qual o seu objetivo na aventura.
O ambiente que você se encontra, NPC's e todo o resto que compõe sua aventura, quem cuidará disso será seu narrador.

As ações devem ser feitas no futuro do pretérito, por exemplo: "Tentaria desviar das adagas e contra-atacar com um hook esquerdo". Note que você tentará, pois só é possível dizer que aconteceu após o narrador narrar.

As mini-aventuras servem para corrigir seus erros na narração durante a aventura e também formas melhores de deixar sua narração mais interessante.

Caso a Mini-Aventura fique sem post durante 5 dias por parte do player, a mesma será cancelada.

O primeiro post é seu, mas apenas narre possibilidades para o seu personagem, assim o narrador começará a guiar a história baseado no que você quer fazer e logo cederá o cenário.
avatar
ADM. Geral
Admin

Mensagens : 128
Data de inscrição : 29/07/2016

Ver perfil do usuário http://talesofdg.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por drock em Qua Jan 11, 2017 5:02 pm

Yao'gun precisava encontrar seu caminho, era isso o que haveria lhe importunado nos últimos dias, se ele queria algum dia ter qualquer esperança de atravessar a barreira do rank Ouro Negro ou até do rank Ouro ele precisaria começar seu treino o mais rápido possível, nos últimos dias uma sensação de emergência haveria se apoderado de Yao'gun, com a morte do único membro rank ouro da família a decadência social da mesma em Glory City estaria cada vez mais rápida, o garoto era jovem porem não estupido ele saberia o que deveria acontecer caso a família voltasse a perder todo o seu prestigio, seu futuro era negro, eles voltariam a ser servos da família sagrada e nem mesmo os deuses poderiam salvar sua família da vingança da família sagrada depois disso, todo saberiam o que acontece com os servos da família sagrada que ousam ascender e tentar sair de seu poder.

Bem que o jovem queria seguir os passos do pai, porem, seu pai nascera com um reino da alma índigo e mesmo assim mal havia alcançado o rank ouro, Yao'gun saberia que não era por falta de esforço, seu pai havia sido um homem bom mais negligenciara a própria família para dedicar-se ao treino, se ele não evoluíra mais do que qualquer para o garoto não havia tido outro culpado se não alguma falha no treino que lhe passaram, mas também pudera, seu pai não tinha mestre, nem ao menos haveria se tido algum outro espiritualista na família Quiang, porem, os erros de seu pai não seriam em vão.

Acordara cedo e haveria passado ao menos metade do dia pensando sobre o que fazer para salvar a família, mesmo sendo só um garoto Yao'gun sentiria a responsabilidade dentro de sua família, seu pai os dera um raio de esperança e vários garotos de sua idade agora tentavam entrar no instituto santa orchidea, mas agora, caso eles voltassem a servidão, jamais poderiam treinar novamente, para Yao'gun ele herdara de seu pai toda a responsabilidade de proteger a família e pior, ele tinha como obrigação não deixar essa sombra pairar novamente sobre nenhum de seus descendentes, sendo a única forma visivel de fazer isso sendo mais forte do que seu pai jamis foi tornando-se um espiritualista ouro negro e levando assim sua família para o pé de iguldade com a família sagrada.

Infelizmente de seu pai o garoto só herdara as responsabilidades, seu talento não era de todo ruim, mas com um talento mediano se ele seguisse o mesmo caminho que seu pai seguiu ele jamis iria chegar nem mesmo onde seu pai chegou, e era por isso que Yao'gun estaria aqui, no quarto de seu falecido pai revisando tudo em busca de uma pista de por que o mesmo havia falhado em evoluir além de espiritualista ouro para que assim não cometesse os mesmos erros que seu pai cometeu.

Yao'gun vasculharia todo o quarto em busca de anotações, pergaminhos, livros ou manuscritos que pudessem lhe ceder qualquer pista de qual caminho seguir, caso encontra-se algo mesmo assim não pararia de procurar mais coisas, não até ter certeza de que já retirou tudo aquilo que pudesse ajudar em seu caminho daquele quarto.
avatar
drock

Mensagens : 10
Data de inscrição : 08/01/2017
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por Dragonmbr em Qui Jan 12, 2017 7:41 am

-NARRAÇÃO-


Hoje era um dia ensolarado, mas o vento estava agradável, ao longe era possível notar passarinhos cantando, e crianças brincando, mas nem isso podia relaxar o protagonista da nossa historia, Yao’gun sentia o peso da responsabilidade em suas costa, sabendo que tinha perdido o único rank gold de sua família logo ela seria rebaixada novamente, e ainda mais pressionada do que era pela família sagrada, devido a eles terem a ousadia de se levantar, com isso em mente Yao’gun foi até o quarto do seu pai, procurando qual era o método de treino do seu pai, Yao’gun estava revirando as gavetas do seu pai, deixando tudo de certa forma bagunçado.


Yão’ gun estava tão concentrado em sua busca que não notou um homem entrar no quarto que ele estava, esse homem se aproximou por trás de Yão’gun( aquela carinha) e observou por um tempo, quando Yão’ gun terminou de revirar o cômodo que estava procurando, ele se levantou somente para dar de cara com seu pai Yao’rim, o rosto dele não estava muito amigável e nem sua voz, isso ficou nítido quando falou com uma voz pouco simpática -Que porra você ta fazendo???- mesmo Yão’gun tendo temperamento calmo não pôde deixar de ter uma dor de medo em seu coração, afinal quem estava ai diante dele era seu pai, pai que ele havia matado antes da hora, e Yão’ gun foi pego no pulo pelo seu pai.

hustiroco:

Numero de post:1
ganhos:
perdas:
extra:
npcs conhecidos:

OFF: bem vamos lá, seu primeiro post foi bem, mas em nem um momento na sua historia seu pai morreu, pelo contrario ele foi o sobrevivente, se tu não botar na historia isso da liberdade pro narrador falar que seu pai não morreu.

Seu post esta com alguns erros de português, pontuação principalmente, recomendo que voce passe no world antes de postar,

Dragonmbr

Mensagens : 20
Data de inscrição : 08/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por drock em Sab Jan 14, 2017 2:09 pm

   Yao’gun estaria paralisado, diante dele estava o pai que ele julgara morto, tão estarrecedora seria a surpresa do garoto que ele haveria deixado de notar a contragosta feição de seu pai ou mesmo seu irritado comentário, seu já marejados olhos só conseguiriam discernir que seu pai estava ali, de pé, diante dele, contrariando tudo o que Yao’gun haveria visto naquele terrível pesadelo.

   Já não conseguindo conter as lágrimas Yao’gun tentaria articular algumas palavras mas apenas balbuciaria desconexamente,
-Pai?...é...é você mesmo pai?
o jovem e desesperado garoto correria descontroladamente para os braços de seu pai, e fosse ele aceito de braços abertos ou não forçaria um abraço em seu querido e já não morto pai enquanto choraria e falaria em alto tom,
-É você mesmo, tem que ser você!!!... mas foi tão real pai, eu pensei que você estava morto, mas foi tudo um pesadelo, não passou de um longo, terrível e realista pesadelo, me desculpa pai, me perdoa por achar que você estava morto.


   O garoto passaria mais um tempo ali abraçado como se quisesse ter certeza de que sua mente não estava lhe pregando outra peça, ainda com os olhos cheios de lágrimas, caso seu pai lhe perguntasse lhe explicaria o que havia sonhado, e o por que de seu sonho ser tão realista, acontece que no sonho de Yao’gun tudo era muito parecido com o que realmente aconteceu com uma única diferença, no sonho a luta de algumas semanas atrás não havia destruído apenas o centro de ki do seu pai mas havia literalmente destruído seu pai, e este era o motivo de toda esta confusão, porém, se seu pai entendesse que tudo fora um sonho, Yao’gun não reviveria este penoso assunto.


   Após este momento, o jovem finalmente soltaria de seu pai, com as mangas de suas veste, passaria a enxugar a inundação de lágrimas que haveria inundado seu rosto passando então a justificar ao seu pai a enorme bagunça que houvera feito em seu quarto,
-Depois acordar achando que o senhor estava morto, diria o garoto, com uma voz lenta e triste, sem ousar encarar seu pai, achei que era de minha responsabilidade salvar a família da servidão, ou pior, da destruição nas mão de seus antigos e vingativos mestres.
Sentindo-se tolo, Yao'gun olharia para seu pai enquanto continuaria a falar
-Mas eu não sou como o senhor, eu não possuo um talento tão grande como espiritualista, e se mesmo assim eu seguisse o mesmo caminho que o senhor seguiu, mesmo que eu me esforçasse muito, jamais passaria de prata, sendo exagerado, talvez eu chegasse a ouro, mas após a minha morte a família voltaria novamente a servidão, para finalmente libertar a família, libertar de verdade, para sempre, eu teria que chegar ao menos no rank ouro negro, para assim nos igualar as outras grandes e então passar tudo o que descobri assim como o caminho mais fácil para os mais jovens.

Yao’gun pararia um pouco de falar, olharia ao seu redor para a bagunça que fizera e suspiraria, em seguida voltaria a falar, mas dessa vez enquanto organizava novamente a bagunça que houvera feito
-Por fim, após passar o dia inteiro trancado no quarto pensando cheguei a conclusão que o senhor poderia haver descoberto o por que da técnica de nossa família ser tão problemática para o cultivo e o por que de ser tão difícil usá-la para atravessar até mesmo o patamar do rank prata, por isso estava a bagunçar seu quarto, eu procurava por qualquer dica que me permitisse evitar passar pelos mesmos problemas que o senhor passou na sua cultivação, para que assim eu pudesse me concentrar em outros problemas, avançado a frente do que o senhor jamais avançou, mas isso foi tolice minha, me desculpe, eu vou organizar tudo não precisa se preocupar.
O jovem então se silenciaria, e terminaria de organizar o quarto que havia revirado.
avatar
drock

Mensagens : 10
Data de inscrição : 08/01/2017
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por Dragonmbr em Dom Jan 15, 2017 1:19 pm

~NARRAÇÃO~


Os olhos do garoto estavam cheio de lagrimas, enquanto perguntava -Pai?...é...é você mesmo pai?- o velho bufou enquanto respondia -Claro que sou eu, quem mais...- antes que o velho pudesse completar a frase é surpreendido por um abraço do filho, de modo hesitante o velho retribuiu o abraço meio sem graça, -É você mesmo, tem que ser você!!!... mas foi tão real pai, eu pensei que você estava morto, mas foi tudo um pesadelo, não passou de um longo, terrível e realista pesadelo, me desculpa pai, me perdoa por achar que você estava morto.- novamente o jovem emocionado continuou a falar, era nítido na face do velho que ele não estava conseguindo entender nada, então yao’gun explicou seu sonho.

Por fim o velho deu um suspiro e falou -Essa foi a pior desculpa que já ouvi para não tomar uma surra na minha vida.... -, o jovem continuou a bombardear o velho com um monte de informação e questionando sobre a técnica de cultivo que o mesmo tinha, disse que estava tentando achar ali no quarto uma solução para achar deixar mais fácil a técnica de cultivo, o velho observando o filho arrumar o que ele tinha bagunçado falou em um tom humorado -Você acha que se eu tivesse a solução para isso não teria usado em mim mesmo ao invés de guardar no quarto? - embora o tom fosse humorado era possível notar um tom de tristeza também.

Após o filho arrumar o quarto do velho, fez sinal com a cabeça para que o filho o seguisse, se o filho seguisse o velho ele iria até a área de treino da família, em um pequeno campo de luta, o velho se posicionaria no meio do campo de luta e falaria para o filho -Já que você estava tão ansioso para carregar o peso do nome da família em suas costas vamos ver se você é realmente digno! - após falar isso o velho fez uma posse de luta mas não atacou iria esperar o garoto fazer o primeiro movimento.


OFF: curti seu post, voce se interage bem com os npcs... agora quero ver como voce se saira em uma luta. lembre-se de botar vários casos de ataque e defesa ]

off²: desculpa os erros de português do meu post... fiz correndo

Dragonmbr

Mensagens : 20
Data de inscrição : 08/01/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por drock em Qua Jan 18, 2017 5:32 pm

Yao'gun seguiria seu pai um tanto apreensivo e meio que sem prestar atenção ao caminho estando absorto em suas teorias sobre como seu pai iria lhe castigar por ter feito a bagunça que fez só percebeu que estava caminhando para a arena da família quando já estava quase dentro dela.

Em outra época Yao'gun ficaria se assustaria com a forma com que seu pai lidou com tudo que ele havia dito, decidir testá-lo em batalha logo após o garoto ter falado tudo o que falou, a forma de falar de Yao'rim faria qualquer um pensar que seu pai iria lhe testar para lhe passar alguma técnica de cultivo, mas o garoto sabia que isso não era mas possível seu pai havia se tornado um homem muito forte mas ele também estancara em seu treinamento, e além disso, seu pai já não podia cultivar, como ele iria lhe treinar para superá-lo se ele já deixara claro que não sabia como evoluir?

Yao'rim nunca foi do tipo que conversava muito e ficara ainda pior após o ferimento o se tornara um homem realmente introspectivo, não iria produzir nada para Yao'gun perguntar ao seu pai o que ele pretendia, só restava ao garoto deixar-se levar.

O velho se posicionaria no meio do campo de luta e falaria para o filho -Já que você estava tão ansioso para carregar o peso do nome da família em suas costas vamos ver se você é realmente digno! -, o garoto sorriria com um rosto meio desinteressado, ele nunca fora tolo, ele se conhecia, sabia que não nascera para lutar, só pensara em tudo aquilo por que esteve desesperado pelo sonho que teve, ele só queria crescer como um bom ferreiro e ver suas armas nas mãos de homens de rank lendário, de preferência que fossem de sua família, mas, se seu pai preferia se comunicar por meio dos punhos era assim que seria, lentamente Yao'gun caminharia para o lado contrario do ringue e com seu punho tocando na palma esquerda faria um breve reverencia preparando-se então para desferir o primeiro golpe, mesmo sabendo que não podia vencer seu pai o garoto saberia que naquele teste ele tinha que provar algo para seu pai, infelizmente, Yao'gun ainda não saberia o que, mesmo assim o garoto decidira esforçar-se ao máximo para derrotar seu velho pai, ou ao menos mostrar a força que possuía para ele, assim sendo, ele não perderia tempo, ele sabia que o primeiro golpe era decisivo em um combate e por isso seu pai havia lhe dado essa vantagem.

Yao'gun avançaria contra seu pai pelo seu lado direito correndo com todas as suas forças, a ideia do garoto seria avançar com o tronco na direção do braço direito de seu pai para que no ultimo momento descesse para a posição do arqueiro aplicando um soco reto na diafragma de Yao'rim, com a base do arqueiro Yao'gun não ia perder a força que tinha ganho com sua pequena corrida, além disso a base também diminuiria sua altura dificultando qualquer defesa ou contra ataque reto de seu pai, o soco reto partindo de sua cintura acrescentaria força centrifuga ao seu golpe, com tudo isso Yao'gun esperava que seu pai ao menos sentisse seu soco.
Se o braços de Yao'rim fossem longos o suficiente ele ainda podia bloquear o soco do garoto, mas nesta posição Yao'gun só poderia imaginar uma defesa focada em empurrar seu soco baixo, para o vazio ao lado esquerdo ou direito da barriga de seu pai, se assim fosse o jovem estaria preparado, ao invés de lutar contra a força visivelmente superior de seu pai Yao'gun seguiria o fluxo, direcionaria seu peso para o chão se apoiando sobre os seus braços como se plantasse bananeira usando assim a força do bloqueio de seu pai para levantar as pernas aplicando-lhe um chute no rosto

Fora o soco ser defendido por seu pai havia apenas duas possibilidades que preocupariam o garoto e ambos seriam contra-ataques aplicados por seu pai, na primeira e preferível possibilidade seu pai usaria um soco reto na base do arqueiro como o seu para contra-atacá-lo, porem por seu pai ser mais alto e ter maior envergadura este soco acertaria seu rosto antes que ele alcança-se o diafragma de Yao'rim que ele tinha como alvo, se este fosse o caso, ao invés de aplicar o soco Yao'gun traria o braço de sua cintura para o lado direito de seu rosto e o apoiaria com a mão esquerda para ter certeza de que ia defender o golpe nesta posição o jovem desviaria seu percurso um pouco para a esquerda para apenas deslizar com o seu bloqueio no lado de fora do soco de seu pai, se ele fosse rápido o suficiente desviaria da maior parte do soco e não perderia  velocidade, velocidade essa que junto com o impacto sobressalente do soco de seu pai usaria girar pelo lado de fora do braço de seu alvo seguido com um pequeno salto na tentativa de aplicar-lhe uma cotovelada na nuca, ao deslizar no soco Yao'gun aumentaria a velocidade do giro acrescentando uma força a cotovelada que ele não teria sozinho, porem, a segunda opção era a que mais o preocupava, o garoto temia que seu pai contra-ataca-se com um soco ascendente, se esse fosse o caso não havia muito o que fazer, sua velocidade só aumentaria o dano do soco de seu pai, e se ele não esquiva-se esse soco ia doer de verdade, além de provavelmente jogá-lo para longe, para evitar que o treino termina-se ali o garoto não podia levar esse soco, para defender-se Yao'gun cruzaria os braços em x na altura de seu diafragma e tentaria desviar para fora do braço de seu pai pulando para a esquerda, se funciona-se ele não levaria todo o peso do soco e o fato de estar no ar faria com que ele fosse apenas jogado para a esquerda levando menos dano pelo impacto, depois disso ele só precisaria se preocupar com a aterrizagem que tentaria fazer ao menos em pé, já se não funciona-se tentaria usar os braços cruzados para levar todo o dano do soco, e ai era só rezar para que eles não quebrassem.
avatar
drock

Mensagens : 10
Data de inscrição : 08/01/2017
Idade : 21

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Mini-Aventura - Forjando o inicio

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum